Cuidados de saúde primários 2000 - Padrão de prescrição de antibacterianos sistémicos nos centros de saúde da Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo

O objectivo deste trabalho é proporcionar uma primeira análise do padrão de prescrição de antibacterianos nos cuidados de saúde primários no que diz respeito tanto à quantidade como ao tipo de antibacterianos descritos.

 

A prescrição de antibacterianos em Portugal tem aumentado progressivamente durante os últimos anos. Na prática clínica existem claras indicações de que se verifica uma utilização indevida de antibióticos, principalmente em infeccções virais habituais. Dados disponíveis através do Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento sugerem que a prescrição de antibacterianos é elevada.

 O estudo diz respeito a uma população de cerca de 3 milhões de pessoas, correspondendo à Região de Saúde de Lisboa (distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal).

A análise de todas as prescrições de antibacterianos com origem nos centros de saúde desta Região durante o ano de 1999 permitiu identificar cerca de milhão e meio de actos de prescrição medicamentosa.

Este estudo revela um elevado nível de prescrição de antibacterianos quando, por exemplo, comparado com aquele que se observa no SNS inglês. O período de maior prescrição corresponde aos meses de Inverno, que são aqueles em que também se observa a maior incidência de infecção das vias respiratórias superiores. Também se observa que são os antibacterianos de largo espectro os mais utilizados.