Projecto Gestão Integrada da Doença: O Suporte à Autogestão

Objectivos

O Projecto "Gestão Integrada da Doença: O Suporte à Autogestão " assenta numa abordagem coerente e abrangente com o objectivo de capacitar as pessoas para gerir a sua própria doença crónica e os cuidados que lhe estão associados, pretendendo proporcionar um apoio efectivo nessa autogestão. A abordagem estratégica pressupõe, assim, um investimento numa procura de coordenação e integração do processo de saúde, bem como um reforço da responsabilização do paciente.

Neste sentido, o Projecto de Investigação, procura acompanhar a tendência internacional e inovar ao investir num conjunto de instrumentos com impacto na qualidade dos cuidados prestados e na qualidade de vida dos doentes crónicos, potenciando domínios como: literacia em saúde, processo de decisão clínica e competências de autogestão.

Na continuidade de um trabalho prévio no domínio da revisão bibliográfica de instrumentos e competências de autogestão em doentes crónicos, encontra-se a definir um conjunto de intervenções complementares, centradas no doente, que sustentam uma metodologia de abordagem mais efectiva e eficiente da doença crónica e que integra diferentes domínios do conhecimento: clínico, educacional e comportamental.

A promoção de uma cultura de partilha e interacção entre doentes e profissionais, através do desenvolvimento de novas competências, atributos e da adopção de diferentes papéis e responsabilidades, assume-se enquanto prioridade de intervenção.

O enquadramento do Projecto na realidade do tecido do Sistema Nacional de Saúde, reveste-se numa estratégia mais ampla de colaboração e parceria com entidades como DGS e ACSS, no domínio da Gestão Integrada da Doença, e assume como parceiro privilegiado na componente prática de investigação-acção, o Centro Hospitalar Lisboa Norte. 

 

Primeira Fase (2007-2009)

A primeira fase de desenvolvimento do projecto, decorreu no período de Novembro de 2007 a Junho de 2009, beneficiou do apoio dos Laboratórios Pfizer enquanto parceiro financiador, e compreendeu um conjunto de actividades:

  • Revisão da literatura Nacional e Internacional sobre intervenções centradas no doente e modelos de gestão da doença, que reconhecem o papel do indivíduo enquanto agente activo no processo de prestação de cuidados
  • Delineamento e definição dos princípios gerais que devem estar subjacentes a um programa de formação e educação para a autogestão.
  • Selecção de parceiros institucionais e acordo com grupos hospitalares para o desenvolvimento do referido projecto, com identificação das pessoas responsáveis e de contacto em cada uma das instituições.
  • Adaptação e validação para a população de pessoas com VIH/Sida, dos instrumentos de avaliação do impacto da intervenção.
  • Organização conjunta com a DGS e a ACSS, de uma Reunião de Discussão Estratégica com a Kaiser Permanente, sobre o tema Gestão Integrada da Doença, dirigida a quadros e dirigentes da Saúde.  

 

Reunião de Discussão Estratégica Kaiser Permanente: Apresentações

 

Segunda Fase (Novembro, 2009)

A segunda fase do Projecto teve início em Novembro de 2009, com o Alto Comissariado e a Coordenação Nacional da Infecção VIH/sida enquanto entidade financiadora. Esta nova fase compreende o desenvolvimento de um conjunto de actividades, algumas das quais já em curso:

  • Encerramento do processo de adaptação e validação para a população com VIH/Sida, dos instrumentos de avaliação do impacto da intervenção e, definição de indicadores de avaliação clínica, económica e humanística.
  • Desenvolvimento de um conjunto de instrumentos de suporte à autogestão da pessoa com VIH/SIDA (modelo estruturado de consulta e programa de educação para a autogestão).
  • Apresentação de um conjunto de recomendações para assistir profissionais de saúde e equipas de prática na adopção de mudanças nos diferentes níveis de prestação.
  • Proporcionar um conjunto de sugestões no desenho de uma estratégia de mudança de paradigma e reorganização do modelo de prática na prestação de cuidados à pessoa com VIH/Sida.

 

Terceira Fase

Uma terceira fase do projecto, irá compreender um período de 18 meses, em que decorrerá um processo de ensaio com aplicação dos instrumentos desenvolvidos no contexto do centro Hospitalar Lisboa Norte, assente num modelo de monitorização e avaliação, que permitirá validar a natureza e dimensão do impacto dos instrumentos para o caso do VIH/Sida, e definir uma estratégia de generalização da sua implementação noutros contextos e/ou doenças crónicas.

A evidência empírica mostra-nos que as abordagens multidisciplinares levam a melhores resultados no longo prazo, pelo que, o Projecto procura assegurar um conjunto de melhorias na prestação de cuidados a doentes crónicos, bem como, assumir o processo de monitorização e avaliação como ponto crítico do seu sucesso, na garantia de uma avaliação dos benefícios expressa em resultados conclusivos.

 

Documentos de Referência